Pessoas que não olham nos olhos durante uma conversa, geralmente, são julgadas como tímidas ou passam pouca confiança. Mas, a grande verdade é que, por trás dessa característica, existe um cérebro muito inteligente que está se esforçando para ser ainda mais.

Não manter contato visual é um mecanismo que o cérebro encontrou para se tornar mais eficiente, descobriu um estudo da Universidade de Kyoto, no Japão.

 

Olho no olho: dificuldades cerebrais

De acordo com a pesquisa sobre a quebra do contato visual durante uma conversa, publicada na revista científica Cognition, olhar nos olhos e falar ao mesmo tempo exige demais do cérebro e dificulta seu trabalho na seleção de palavras para se expressar.

Os voluntários do estudo foram avaliados durante um jogo de associação de palavras. Os cientistas compararam o tempo que eles levavam para responder as perguntas e a tendência que eles tinham em parar de olhar nos olhos dos perguntadores.

Os resultados mostraram que palavras difíceis exigiam mais tempo do cérebro, principalmente quando não havia a quebra do contato visual. Mas quando ela acontecia, o tempo era diminuía e a qualidade aumentava.

“A dupla tarefa de manter contato visual e pensar nas palavras para falar exige demais do cérebro – para se salvar, o cérebro impulsiona uma quebra de contato visual para, então, poder se focar exclusivamente para encontrar uma palavra que vai cumprir sua obrigação”, explicam os autores.

Por isso, pessoas que não costumam olhar nos olhos durante uma conversa, têm mais foco e conseguem encontrar com mais facilidades as palavras certas para usar em suas frases.

Fonte: Vix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *